Nair Benedicto | Louvação a Iemanjá
Louvação a Iemanjá

Nair Benedicto

Praia Grande, SP, 1978

"A mulher sempre foi um tema recorrente no meu trabalho. Eu considero esses registros fotográficos um pout pourri sobre a realidade da mulher brasileira, que é mostrada em diferentes situações: na prisão, em passeatas, em aldeias indígenas e no carnaval”, relata Nair Benedicto, sobre sua exposição “Fé Menina", não é diferente com sua documentação sobre a festa de Iemanjá, onde a figura feminina ocupa o centro da imagem com dramaticidade e potência, uma das características de seu trabalho, além do foco nas questões sociais e políticas.

Sobre a autora

Nair Benedicto
(São Paulo, SP, 1940)

Nair Benedicto (São Paulo, SP, 1940). Fotógrafa. Formada em rádio e televisão pela Escola de Comunicações e Artes da Universidade de São Paulo (ECA/USP), em 1972. Nesse ano, inicia carreira profissional na capital paulista, como realizadora de audiovisuais e fotógrafa freelancer do Jornal da Tarde. Em 1979, funda a Agência F4 de Fotojornalismo, com Juca Martins, Delfim Martins e Ricardo Malta. Além de colaborar com revistas nacionais e internacionais como Veja, IstoÉ, Marie Clair, Paris Match, Newsweek e Time, desenvolve ensaios sobre temas sociais e manifestações populares. Na década de 1980, dedica-se à realização de documentários audiovisuais e fotográficos sobre as condições de vida de crianças e mulheres na América Latina, e expõe esses seus trabalhos no Brasil e no exterior. Em 1991, com Stefania Bril, Marcos Santilli, Rubens Fernandes Júnior e Fausto Chermont e outros, cria o Núcleo dos Amigos da Fotografia - NAfoto, associação promotora do evento Mês Internacional de Fotografia de São Paulo. Paralelamente, funda a Agência N-Imagens, passa a organizar exposições e a ministrar cursos e palestras em diversos Estados do país. Entre suas premiações, destaca-se o 11º Prêmio Abril de Fotojornalismo, em 1985. É autora dos livros A Greve do ABC, 1980, A Questão do Menor, 1980, em parceria com Juca Martins, e As Melhores Fotos de Nair Benedicto, 1988, entre outros.

Skip to content